Simplicidade não é escassez

Fabiana M. Machado faz uma reflexão sobre conceitos que podem prejudicar a sua relação com o dinheiro

Em um entrevista com o filósofo e professor Mário Sérgio Cortella ouvi a frase “Simplicidade não é carência, é suficiência” e fiquei pensando o quanto ela nos ajuda com a nossa relação com o dinheiro. Simplicidade não é apenas sobre ter um estilo de vida, mas sobre usar o dinheiro com sabedoria, de acordo com as nossas escolhas e dentro da nossa realidade.

É comum pensar que quem tem uma vida simples não tem dinheiro para ter acesso a coisas materiais e, portanto, não há opção. Mas há quem escolha viver de uma forma simples, por opção. Seja como for e independente da quantia de dinheiro que se tem, a simplicidade é vista como carência, falta, escassez ou privação.

Diariamente, há um bombardeio de propagandas e informações nos instigando a ter uma vida diferente da que temos, a comprar coisas que nunca imaginamos ter, a fazer coisas que todo mundo está fazendo e por aí vai.

Passamos a acompanhar as tendências e querer estar sempre na moda. Mesmo tendo roupas no armário (e às vezes até com etiqueta da loja), compramos roupas novas, afinal, abrimos o guarda-roupa e não há nada de interessante…

A individualidade é deixada de lado e a simplicidade não é uma opção para se viver.

O resultado é consumir em excesso, o que não precisa, aquilo que não faz sentido, sem conseguir olhar para a conta bancária, organizar a vida financeira ou saber para onde vai o dinheiro.

A pressão é tão grande que o melhor é se conformar e correr atrás, ir à luta, tornar o trabalho um grande fardo e dele depender para pagar todos os “boletos”. E se o dinheiro acabar antes do fim do mês, basta passar o cartão de crédito ou usar o limite do cheque especial. Simples assim? Nem sempre, não é mesmo? Esse é um comportamento que pode custar muito caro…

Simplifique

No fundo, nós não queremos ou precisamos de tantas coisas. Será que realmente queremos mudar o estilo de roupas todos os anos? Ou precisamos comprar um carro novo?

É hora de adquirir consciência dos hábitos, comportamentos e valores que nos guiam no momento da decisão. Que estilo de vida quero ter e quanto é suficiente para viver dentro da minha realidade?

O importante pra mim é avaliar o comportamento e decidir com base no que realmente faz sentido na minha vida. Sinceramente, nunca contei quantas peças tenho ou preciso para viver, mas sei que não preciso de um jogo de jantar completo se não recebo em casa. Também não preciso de uma dezena de calças jeans, se gosto de usar apenas duas.

Que estilo irá me permitir gastar e consumir de uma forma simples e com consciência e poder usufruir do dinheiro sem me livrar dele com tantas despesas?

Gastar tempo e dinheiro com o que é essencial nos faz ter mais leveza e experimentar a suficiência, independente do quanto ou o que os outros estão comprando. Mas se você tem dificuldade de estabelecer o que é suficiente, faça uma lista de tudo o que você possui. Acho que deve ter muitas coisas por aí. Avalie.

Simplicidade é suficiência. E ajuda você a gastar menos dinheiro, ser livre para fazer as suas escolhas de acordo com os seus valores e manter a vida organizada. Simples assim.


*Texto publicado originalmente no site Bella Mais, em 21.11.19.

Fabiana G. M. Machado

Sou sócia-fundadora da MoneyMind® e especialista em comportamento financeiro. Trabalho com programas individuais, treinamentos e palestras com foco em comportamento financeiro, ajudando as pessoas a organizar a vida financeira e lidar com o dinheiro com mais liberdade e consciência.

Sou colunista do Bella Mais, um site dedicado ao universo da mulher em diferentes segmentos, e escrevo semanalmente textos relacionados ao comportamento financeiro ao público feminino.

Esse texto foi útil pra você? Escreva-me para contar: fabiana@moneymind.com.br.