SEU PET CABE NO SEU BOLSO?

Fabiana M. Machado

Foto do acervo da pet @Madalenaspitz l Instagram

Você tem um pet ou quer ter? Um amigo que chega de mansinho. Traz alegrias. Dá trabalho e muito envolvimento até entrar na rotina, mas ele distrai e logo vai tomando um lugar na casa e na família. De repente, impossível pensar a vida sem ele.

Mais que um animalzinho de estimação, é considerado parte da família! Mas, junto com tanto amor e responsabilidade, vêm as despesas. E você sabe se os gastos com o seu pet realmente cabem no seu bolso?

A escolha por um animal de estimação é um típico exemplo de decisão emocional com o dinheiro. O desejo de ter um pet dificilmente leva em consideração todas as despesas que ele dá e, principalmente, se é possível arcar com elas mensalmente sem comprometer o orçamento da família.

Com certeza, o seu pet merece todo o cuidado e carinho, mas quando se trata de manter a vida financeira em dia, sem dívidas e com limite para os gastos, é preciso calcular e prever todas as despesas que o animalzinho lhe dará ou terá surpresas para pagar e irá estourar o seu limite.

As despesas com os animais são como qualquer outra despesa que você tem, como moradia, alimentação, transporte, filhos, educação, etc.

Então, é importante incluir a categoria “pet” no seu orçamento e ter essas despesas na ponta do lápis:

  • Primeiros cuidados: Faça uma lista do que será preciso ao adquirir o seu pet, seja por compra ou por adoção, tal como vacinas, consulta e produtos veterinários, ração, espaço/estrutura física, cama, brinquedos, acessórios.
  • Despesas fixas: Alimentos, banho, tosa, remédios, visita ao veterinário, exames: o que faz parte do dia a dia do seu pet? Algumas podem ser anuais como as vacinas.
  • Despesas eventuais: Vai viajar? Avalie o custo de levar o seu animal de estimação ou deixar.  Vai fazer uma cirurgia de castração? Precisa trocar a cama, escolher novos brinquedos, investir numa estrutura adequada? Leve em consideração possíveis estragos que o animal fizer nos seus objetos…
  • Despesas emergenciais: Sabe aqueles chamados “imprevistos”? Quando falamos de organização financeira, é possível prever. O bicho pode se machucar, adoecer, precisar de exames, remédios e cirurgias. Hoje já existem planos de saúde para pets que podem atender essas demandas. Ou converse com o veterinário para conhecer os custos no caso de um atendimento de emergência. O ideal é ter uma reserva financeira para cobrir os gastos ou ajustar as despesas da família para atender o bichano. Como envolve saúde, peça ajuda caso tenha dificuldade para decidir o quanto gastar.

Esteja atenta também com o mercado em torno do mundo animal, que está cada dia mais aquecido e com inúmeros produtos e serviços para atrair o público apaixonado por animais de estimação. Itens desde essenciais até mimos e acessórios podem se tornar igualmente necessários quando se pensa no bem-estar do animal.

Mas, se o animal faz parte da família, deve também entrar no orçamento da família.

Por maior que seja o seu amor e cuidado com o pet, não pode ser maior do que o amor e cuidado com você e com sua família. Extrapolar o orçamento, endividar-se ou simplesmente gastar sem saber o quanto ou acima do que você gastaria com você e com sua família é sinal de que não é apenas uma questão financeira.

Fabiana M. Machado

Sócia-fundadora da MoneyMind® e especialista em comportamento financeiro. Colunista do Bella Mais, um site dedicado ao universo da mulher em diferentes segmentos, e escrevo semanalmente textos relacionados ao comportamento financeiro ao público feminino.

Quer saber mais? Acompanhe a coluna semanal. Todas as quintas tem texto novo para você refletir sobre a sua relação com dinheiro.

Quer organizar a vida financeira e construir uma relação mais consciente e saudável com o dinheiro?

Vamos conversar

*Este texto foi publicado originalmente no site Bella Mais, em 12.03.20.