COMO IDENTIFICAR A SUA RELAÇÃO COM O DINHEIRO?

Fabiana M. Machado

O momento é de ansiedade e preocupação com o dinheiro em razão dos efeitos da pandemia na vida financeira. Mas pode ser um bom momento para tomar consciência da sua relação com o dinheiro. E você sabe qual é o seu tipo de relação com o dinheiro e como impacta as suas decisões no dia a dia?

Talvez você possa pensar que ter uma boa relação com o dinheiro é encontrar formas de ganhar bem, conseguir controlar as despesas e saber investir para garantir uma aposentadoria tranquila.

Com certeza, ter dinheiro entrando e as contas pagas em dia, principalmente nos dias atuais, garante uma certa tranquilidade e diminui o estresse, mas não significa que tem uma boa relação com o dinheiro.

A relação envolve também os motivos que te levam a agir ao lidar com o dinheiro e o que está guiando as suas decisões financeiras e que, muitas vezes, impede de ter o resultado que você deseja.

Para ajudar a identificar essa relação com o dinheiro, a norte-americana Deborah Price, autora do livro Terapia do Dinheiro, em estudo realizado durante anos, identificou 8 formas básicas de reagir e lidar com o dinheiro, que são padrões de comportamentos repetidos e gravados no inconsciente, fazem agir de modo automático e exercem influências na vida pessoal e profissional quando o assunto é dinheiro. 

Essas formas não correspondem à nossa personalidade, mas representam o momento atual de nossas vidas e ajudam a identificar os padrões mentais em relação ao dinheiro, entendê-los e analisá-los de forma a avaliar se estamos satisfeitas com os resultados que esses padrões têm produzido. Caso os resultados não sejam satisfatórios, temos mais clareza e condição de ajustar e mudar o que for preciso.

Na prática, sabe aquela dificuldade de colocar preço no serviço ou cobrar uma cliente mesmo sabendo que o serviço vale e o preço é justo? Aquele planejamento ou planilha que você evita a vida toda e não consegue controlar a sua vida financeira?

Se acontece com você, que tal se conhecer melhor?

1. INOCENTE

A inocente se sente impotente diante do dinheiro e busca segurança, como se esperasse alguém para resolver por ela ou salvá-la. Procuram consultores não para orientar, mas para decidir em seu lugar; afinal, entender de dinheiro é algo novo e dará trabalho para a inocente! O melhor é se livrar logo e não ter que lidar com o dinheiro, nem mesmo para cobrar um cliente.

2. VÍTIMA

A vítima culpa seus problemas financeiros a fatores externos. Geralmente, está presa ao passado, ressentida com algo que a faz cobrar dos outros pelo que sofreu. Infelizmente, muitas mulheres ainda sofrem abuso emocional e o dinheiro é usado nessa relação, o que dificulta ver o dinheiro como algo bom. Quando conseguem curar as feridas, dão um salto para uma vida melhor e de têm mais compaixão, amor e compreensão para ajudar outras pessoas também.

3. GUERREIRO

Está determinada a conquistar o dinheiro e é bem-sucedida no que faz e nas finanças. Encara as dificuldades e desafios como oportunidade de crescimento. Mas deve cuidar o excesso, pois nem sempre vencer a qualquer custo trará a realização que deseja.

4. MÁRTIR

Atende mais as necessidades dos outros do que dela mesma. Abre mão de guardar dinheiro para dar a outra pessoa. O problema é quando ela cobra a conta: “Te ajudei tanto, agora você me abandona…” Já ouviu essa frase?!

5. TOLO

A tola tem aquela sensação no final do mês de que não sabe com o que gastou, por que não sobrou dinheiro e nem pra onde foi o seu dinheiro.

A tola não pensa no futuro e costuma se aventurar: “passa o cartão e depois eu vejo como pagar!” Mas é uma pessoa otimista, que sabe como conseguir mais dinheiro.

O desafio é gastar de forma consciente.

6. ARTISTA

Tem uma relação de ódio e amor com o dinheiro. Adora o dinheiro pela liberdade que pode lhe proporcionar, mas não quer viver pelo dinheiro. Afinal, realiza-se mais pelo o que faz do que pelo retorno financeiro que o seu trabalho lhe traz. É um conflito interno e confunde o valor que tem com o dinheiro que precisa para viver. Essa conta nunca fecha!

7. TIRANO

A tirana usa o dinheiro para controlar as pessoas e tem a famosa frase: “Tô pagaaando!” Aparentemente realizada e segura, a tirana se cobra muito sendo perfeccionista e nunca está satisfeita, sempre querendo mais. Paga um preço muito pela sua aparência.

8. MAGO

Embora hoje muitas mulheres estarem fazendo milagre para o dinheiro “surgir”, considerada Mago é aquela que sabe como transformar e manifestar a sua realidade financeira, com equilíbrio: sem o excesso do guerreiro e com a certeza da missão de vida da artista. Não tem, necessariamente, muito dinheiro, mas sabe administrá-lo com maestria, viver bem e de acordo com os seus valores.

E você, se identificou com algum tipo?

É preciso ter tempo e paciência para encontrar o equilíbrio. Muitas vezes, estará agindo como uma guerreira para trabalhar e gerar dinheiro, ou entrará em conflito com o trabalho e o dinheiro recebido, como a artista, ou gastando mais por impulso, como a tola, ou dizendo aos filhos que paga a conta e, por isso, tem o direito de olhar o celular, como uma tirana.

O importante, e o primeiro passo para a mudança, é tomar consciência desse comportamento ao lidar com o dinheiro e o reflexo nas decisões do dia a dia, como definir o custo do seu estilo de vida, a forma como você se comunica em família envolvendo dinheiro, como educa seu filho sobre dinheiro, na hora de investir ou comprar um carro, uma casa…

Enfim, ficou curiosa para saber qual o seu tipo de relação com o dinheiro? Clique aqui para fazer o teste e descobrir. Você pode se surpreender com o resultado, mas vai ajudar a não ter mais surpresas com o dinheiro na sua vida.

Fabiana M. Machado

Sócia-fundadora da MoneyMind®, especialista em comportamento financeiro, consultora e planejadora financeira e tributária. Colunista do Bella Mais, escrevo textos sobre o comportamento financeiro e a relação com o dinheiro.

Quer saber mais? Acompanhe nosso blog.

Quer ajuda profissional para melhorar a sua relação com o dinheiro? Entre em contato. Será um prazer ajudar você.

Entrar em contato