AINDA DÁ TEMPO DE EQUILIBRAR AS CONTAS

Fabiana M. Machado

Dois mil e dezenove está chegando ao fim e o ano novo se aproxima… Pensamos em organizar as festas de fim de ano, a viagem, as férias, mas um bom projeto para completar antes de entrar em 2020 é organizar as suas finanças e saber para onde vai o seu dinheiro.

Você já se programou para as despesas extras do início do ano, como IPVA e IPTU com desconto, matrícula e material escolar, despesas com viagens nas férias e carnaval… Como irá manter suas finanças organizadas durante o ano que se inicia? 

Não tem jeito! Por mais que as despesas nesta época aumentem, tenha em mente que, após a ressaca do Réveillon, a sua dor de cabeça pode aumentar com as contas altas no início do ano.

Então, é preciso encarar a realidade e cuidar o seu comportamento na hora da compra, como querer agradar e presentear a todos. Mas mesmo que seja uma lembrancinha, faça as contas: ela cabe no seu orçamento sem prejudicar você? 

Vamos equilibrar 

Sejamos sinceras: nesta época, é comum fazer malabarismos para querer dar conta de tudo. E todo ano é a mesma situação. Não há nada de novo… as despesas são maiores no fim de ano e no início do ano e fica difícil equilibrar as finanças.

Ah, bendito (ou maldito) dinheiro que não é o suficiente… nesta hora, sempre pergunto o quanto seria suficiente para saciar todas as vontades? Será que realmente é preciso mais dinheiro para se salvar ou é preciso salvar-se de si mesma?

Convido você a fazer uma conta um pouco diferente: 

Imagine você segurando uma vareta em cada mão com prato girando. O prato da mão direita representa todos os gastos de fim de ano. Já o da mão esquerda representa as suas contas do dia a dia, incluindo os extras do início do ano. Sinta o peso nas duas mãos. Você consegue equilibrar os dois pratos ao mesmo tempo? Se negativo, o que está pesando mais e vai fazer um estrago ao cair? Qual você realmente precisa salvar?

Considere ainda que, durante a vida, você tem que equilibrar vários pratos: relacionamentos, família, trabalho, dieta e por aí vai. E por que, quando se trata de dinheiro, você quer ter dois pratos? Tanto peso, será que vale a pena?

Equilibrando as finanças

Você pode querer colocar tudo no mesmo prato. Mas vai ficar muito pesado. O que você pode fazer? A minha sugestão é você anotar tudo o que pretende gastar na ponta do lápis e ponderar:

1. Quais são as suas despesas em dezembro?

Despesas do mês

Pague ou reserve o dinheiro para quitar todos os boletos e gastos do mês. Mesmo que o dinheiro fique na conta, não se empolgue. Ele já está comprometido.

Confira na sua fatura do cartão de crédito quanto ainda tem de parcelamentos para os próximos meses e não olhe para o limite do cartão, que é um crédito à sua disposição. Assim, você tem clareza das dívidas que ainda devem ser pagas e não extrapola o seu limite de gasto (que é o que você realmente pode pagar).

Presentes

Será que você realmente tem que dar presentes? Liberte-se! Falamos tanto em liberdade financeira, mas será que o correto não seria falarmos de ter liberdade para escolher o que fazer com o seu dinheiro, sem se preocupar com a opinião dos outros? Reflita. Vire o jogo!

Se ainda faz sentido pra você comprar, faça uma lista com quem precisa ou quer presentear:

Mãe, Pai, Irmã, Marido… Quanto está disposto a gastar com cada um? Tem dinheiro para isso? 

Não queira mostrar quem você é por meio de presentes. Pode custar caro!

Compras com cartão de crédito

Um grande vilão nesta época é o cartão de crédito. Não se iluda. Mesmo que você use o cartão de crédito para as compras, lembre que é apenas uma forma de pagamento e não uma conta ilimitada para você gastar sem se preocupar e depois ver como pagar durante o ano. 

A conta é simples: as parcelas cabem no seu orçamento junto com as despesas do mês? Se hoje não caberiam, nos próximos meses também não. Então, não use. Caso contrário, irá começar o ano com as contas altas do ano que está acabando.

Viagem

Não saia de casa sem calcular os custos da sua viagem, mesmo que você já tenha comprado um pacote ou passagem com antecedência.

O que será preciso gastar? Alimentação, compras, estadia, passeios; se vai de carro, considere o combustível, pedágios e até mesmo um engarrafamento ou pneu furado. Nada sai de graça.

Reserva

Ainda que você não consiga investir neste mês, deixe o dinheiro guardado como uma reserva para o início de 2020, pois logo as despesas extras aparecerão.

2. Despesas extras no início do ano

Para se organizar e equilibrar bem as finanças, saiba quais são as despesas que surgem logo no início do ano: 

  • Impostos como o IPTU (da casa/moradia) e o IPVA (do carro);
  • Matrícula em escolas ou cursos livres ou de idiomas; 
  • Anuidade de órgãos profissionais ou Conselhos de Classe (advogados, psicólogos, médicos, etc);
  • Material escolar dos seus filhos. Para economizar, reaproveite o material deste ano e opte por troca de livros e material didático. 

Considere também os reajustes dos preços de serviços e produtos, que podem elevar o custo da sua despesa mensal.

Férias

Se você tirou férias neste período, saiba que, quando retornar ao trabalho, sua remuneração será menor. Portanto, faça o cálculo e guarde um pouco antes de sair gastando todo o dinheiro que recebeu para as férias. 

O equilíbrio está em você

É bem provável que você você não queira fazer esse controle, afinal você pode se deparar com um resultado que não irá agradar: você não tem dinheiro para tudo o que deseja ou precisa fazer.

Mas não há como fugir da realidade. É preciso equilibrar. Para ajudar a tomar uma decisão mais consciente, transforme o seu dinheiro em tempo, trabalho e energia e responda: quanto você gastará para comprar algo? Quanto movimento e dias trabalhados você estará dedicando para agradar os outros custe o que custar? E quanto você dedicará pensando no seu bem-estar, na sua liberdade e não se endividar? 

A outra pessoa merece um presente e você merece estar num lugar maravilhoso, comer bem e usar roupas bonitas? Sem dúvidas! Todos nós merecemos o que há de bom e útil. 

Mas o que você não merece é sofrer ou sentir culpa por não conseguir comprar ou comprometer o orçamento dos próximos dias (ou até meses) e começar o ano angustiada e ansiosa porque precisa de mais dinheiro. Quando isso acontece, a conta não se equilibra nunca, concorda?

Fabiana M. Machado

Sócia-fundadora da MoneyMind® e especialista em comportamento financeiro. Colunista do Bella Mais, um site dedicado ao universo da mulher em diferentes segmentos, e escrevo semanalmente textos relacionados ao comportamento financeiro ao público feminino.

Quer saber mais? Acompanhe a coluna semanal. Todas as quintas tem texto novo para você refletir sobre a sua relação com dinheiro.

Quer organizar a vida financeira e construir uma relação mais consciente e saudável com o dinheiro?

Vamos conversar

*Texto publicado originalmente no site Bella Mais, em 12.12.19.