O QUE É BEM-ESTAR FINANCEIRO E COMO ALCANÇAR?

André Luiz e Fabiana Machado

Estar tranquilo e não se preocupar com o dinheiro é um sonho de qualquer pessoa!

Mas, diferente do que se imagina, ter tranquilidade não significa ter muito dinheiro e comprar o que quiser sem se preocupar em pagar a conta. A tranquilidade com o dinheiro está ligada ao nosso bem-estar financeiro, que afeta não apenas o bolso, mas a qualidade de vida.

Afinal, o que é bem-estar financeiro e como alcançar?

O que é bem-estar financeiro?

O bem-estar financeiro já vem sendo estudado há algum tempo como meta da educação financeira. Sabe aquela tão falada educação financeira? Então, nos últimos anos, o interesse por educação financeira cresceu muito como meio de ter o conhecimento sobre produtos financeiros, oportunidades de investimentos e uma série de informações que ajudam a administrar melhor as finanças e poupar dinheiro. Mas, mesmo com o conhecimento aumentando, o número de pessoas endividadas não parou de crescer. Com isso, estudos têm levado em consideração não apenas o nível de educação financeira, mas também o comportamento em relação do dinheiro.

Afinal de contas, o que faz sentido para cada pessoa, quais os objetivos de vida, o que se considera uma vida satisfatória? Além de diferentes respostas, foi possível verificar que há dois atributos citados frequentemente pelas pessoas: segurança e liberdade de escolha, em duas dimensões de tempo, tanto no presente quanto no futuro.

Assim, após ampla pesquisa, o Consumer Financial Protection Bureau, órgão do governo americano de proteção, orientação e estudo do consumidor de produtos e serviços financeiros, definiu o conceito:

Bem-estar financeiro é um estado de estar no qual uma pessoa pode cumprir plenamente as suas obrigações financeiras atuais e contínuas, pode se sentir segura em relação ao seu futuro financeiro, e é capaz de fazer escolhas que lhe permitem aproveitar a vida.

Elementos fundamentais do bem-estar financeiro

De forma mais objetiva, o conceito de bem-estar financeiro contém 4 elementos centrais:

  1. Manter as finanças do dia a dia sob controle, mês após mês;
  2. Ter a liberdade de fazer escolhas financeiras que permitam desfrutar a vida;
  3. Ter a capacidade de suportar uma despesa inesperada;
  4. Manter o rumo em direção aos objetivos financeiros.

Esses elementos do bem-estar financeiro tem dimensões de tempo muito claras: o primeiro e o segundo dizem respeito a situações presentes, e o terceiro e quarto referem-se a garantir o futuro.

Vamos analisar cada um desses quatro elementos, de acordo com os resultados e definições do CFPB:

1. Manter as finanças do dia a dia sob controle, mês após mês

As pessoas com níveis relativamente altos de bem-estar financeiro sentem que estão no controle de suas vidas financeiras. Elas mantém controle sobre o dinheiro, ao invés de serem controladas por ele. Além disso, conseguem pagar suas contas em dia e não vivem preocupadas em conseguir dinheiro para sobreviver.

2. Ter a liberdade de fazer escolhas financeiras que permitam desfrutar a vida

Sabe aquela sensação de usar bem e usufruir do dinheiro?

As pessoas que vivem em situação de bem-estar financeiro têm a percepção de que são capazes de fazer escolhas que lhes permitem aproveitar a vida.

Além de conseguir pagar pelas suas “necessidades” e despesas do dia a dia, está tudo bem fazer algumas extravagâncias de vez em quando. Eles podem pagar por alguns “desejos”, como sair para jantar em um restaurante, ajudar a família, fazer um curso há muito desejado ou tirar férias sem sentir culpa por estar gastando. O importante, neste quesito, é poder usar o dinheiro conforme sua preferência e valores, da forma que faça sentido e, claro, dentro do seu orçamento.

3. Ter a capacidade de suportar uma despesa inesperada

Quem está tranquilo tem a capacidade de arcar com uma situação financeira inesperada. Por causa de uma combinação de fatores, como ter o apoio da família ou amigos, ter uma poupança ou Reserva de Segurança, além de seguros de vários tipos, sua vida não seria prejudicada se seu carro ou casa precisasse de um conserto ou se perdesse o emprego.

4. Manter o rumo em direção aos objetivos financeiros

Ter um objetivo claro como, por exemplo, comprar um carro ou uma casa, quitar os empréstimos ou fazer investimentos para a aposentadoria e se empenhar ativamente para atingir esse objetivo, constituindo uma reserva e fazendo um planejamento (formal ou informal), para atingir o objetivo, também garantem o bem-estar financeiro.

Até aqui, vimos como o bem-estar financeiro pode ser definido e quais os seus principais componentes. Mas quais são os fatores que influenciam nessa sensação de bem-estar?

Fatores que influenciam o bem-estar financeiro

De acordo com diversos estudos, inclusive o do CFPB, esses fatores podem ser divididos em dois grandes grupos: estruturais e individuais.

Os fatores estruturais compreendem, dentre outros, o contexto macroeconômico, a condição financeira da família de origem, o acesso à educação, localização geográfica, cujo conjunto são fundamentais para a criação de “oportunidades” disponíveis para a pessoa poder alcançar índices de bem-estar financeiro mais ou menos elevados.

Mas apenas as oportunidades, sejam elas em maior ou menor quantidade, não são suficientes para promover o bem-estar. É preciso que a pessoa seja capaz de “aproveitar” as oportunidades que a vida lhe oferece, sejam elas muitas ou poucas. E aqui surgem os fatores individuais determinantes para alcançar o bem-estar financeiro: o conjunto de comportamentos, conhecimentos e habilidades desenvolvidas pela própria pessoa.

Assim, conseguimos entender os motivos que levam uma pessoa para qual os fatores estruturais ofereceram apenas “uma” oportunidade, mas, em razão do seu conjunto de fatores individuais, ela é capaz de alcançar um elevado nível de bem-estar financeiro. No extremo oposto, também é possível compreender o porquê de uma pessoa que, mesmo tendo várias oportunidades na vida, mas sem os fatores individuais desenvolvidos, acaba não conseguindo alcançar um alto índice de bem-estar financeiro.

Enquanto os fatores estruturais são mais complexos de serem melhorados ou modificados por dependerem de ações coletivas, os fatores individuais estão sob o nosso domínio. Por isso, vale a pena entender melhor cada um deles.

Existem 3 fatores individuais que impactam o nível de bem-estar financeiro:

  1. Comportamento Financeiro
  2. Conhecimento Financeiro
  3. Características de Personalidade e Habilidades

Então, vamos analisar mais detalhadamente o que está envolvido em cada um desses 3 fatores:

1. Comportamento Financeiro

São 4 padrões de comportamento que levam a um elevado nível de bem-estar financeiro:

  • Gerir o dinheiro de forma rotineira e eficiente;
  • Pesquisar e buscar informações para tomar decisões financeiras;
  • Planejar e definir metas financeiras;
  • Agir de acordo com o que foi decidido e planejado.

2. Conhecimento Financeiro

Uma descoberta importante nesse fator é que o conhecimento por si só não é suficiente para influenciar o comportamento ou uma mudança de comportamento. O conhecimento só produz resultados quando aplicado, o que vem sendo denominado de “habilidade financeira” ou, dito de outra maneira, o “saber como fazer”.

Nesse contexto, as “habilidades financeiras” seriam o conjunto de habilidades que apoiam os comportamentos financeiros listados acima.

E quais seriam essas habilidades financeiras?

  • Saber quando buscar e onde encontrar informações confiáveis para tomar uma decisão financeira;
  • Saber como processar informações financeiras para tomar decisões financeiras aderentes ao planejamento;
  • Saber como executar decisões financeiras, incluindo monitorar os resultados e fazer os ajustes, quando necessários, para alcançar os objetivos planejados.

Entretanto, o mais relevante dos achados com relação ao conhecimento financeiro diz respeito ao que as pessoas relatam ser o fator que mais influencia suas habilidades financeiras: a educação recebida em casa!

3. Características de Personalidade e Habilidades

São as atitudes e habilidades que influenciam diretamente os padrões de comportamento e exercem um papel extremamente importante ao conectar conhecimento e comportamento.

Têm como uma importante característica o fato de poderem ser desenvolvidas ao longo da vida, seja por meio de programas de treinamento, oportunidades ou, ainda, pelo apoio recebido no momento certo.

As habilidades envolvidas são:

  • Referencial interno: usar seus próprios critérios para formar opiniões e tomar decisões;
  • Perseverança: Sentir-se internamente motivado e determinado a colocar os planos em ação e não desistir em função dos percalços e contratempos;
  • Foco no futuro: planejar, controlar impulsos, estar preparado para os imprevistos;
  • Auto-eficácia financeira: acreditar na sua capacidade de lidar com o dinheiro e alcançar seus objetivos financeiros.
Qual o seu índice de bem-estar financeiro?

O Consumer Financial Protection Bureau desenvolveu um teste com escala de medição do índice de bem-estar financeiro.

A escala é composta de 10 perguntas e tem como objetivo avaliar a sua percepção de segurança financeira e liberdade de escolha financeira, tanto no presente quanto no futuro. Faça o teste e conheça o seu índice de bem-estar financeiro.

Quero conhecer o meu índice
E conte com o nosso apoio para alcançar os seus objetivos e conquistar níveis de bem-estar financeiro cada vez mais altos.
Entrar em contato
Quer promover o bem-estar financeiro na sua empresa?

Como empresa pioneira em gestão do comportamento financeiro no Brasil, a MoneyMind tem um serviço voltado exclusivamente à orientação, planejamento e implantação de programas de bem-estar financeiro customizados de acordo com a necessidade e realidade de cada empresa, com a vantagem de atuar sem conflito de interesses. 

Invista em um benefício diferenciado e efetivo aos seus colaboradores e fortaleça o valor da sua empresa como referência para se trabalhar.

Conhecer o Programa para empresas