O jogo interior do dinheiro

“Eu sei o que fazer, o problema é que eu não faço o que já sei.” Quantas vezes já passou pela sua cabeça esse tipo de pensamento? Ou então esse: “Eu sei exatamente o que estou fazendo de errado, mas simplesmente não consigo mudar.”

Ajudar a entender porque nossa mente funciona dessa forma e o que fazer para mudar essa realidade é a proposta do livro “O jogo interior do tênis”.

O título dá a entender que o livro serve apenas para quem joga tênis, mas fiquei impressionado com a profundidade que o autor consegue decifrar a forma de funcionamento dos nossos pensamentos para qualquer área das nossas vidas, indo muito além de uma simples partida de tênis.

Nos desenhos animados da minha época de criança, era comum aparecerem um diabinho e um anjinho “assoprando” conselhos nos ouvidos dos personagens e lembrei muito desses desenhos enquanto lia o que o autor, Tim Gallwey, descreve sobre termos 2 “Eus”, aos quais ele chamou de Ego 1 e Ego 2.

O Ego 1 é a nossa parte racional, que fica nos dizendo o tempo todo o que fazer e como fazer, enquanto o Ego 2 é o nosso lado mais inconsciente e responsável por executar as tarefas.

Os problemas acontecem, na grande maioria das vezes, porque o Ego 1 manda o Ego 2 fazer alguma coisa (guardar dinheiro, por exemplo), mas não confia na capacidade do Ego 2 de cumprir a tarefa e passa a querer comandar o espetáculo. Um claro exemplo aplicado ao caso das finanças pessoais é a tal da planilha de controle dos gastos.

Quantas pessoas já começaram a anotar todos os seus gastos numa planilha para, algumas semanas depois, nunca mais atualizarem os dados?

O problema começa quando a pessoa, ao anotar todos os seus gastos, percebe de forma concreta que “sabe o que deveria fazer, mas não consegue fazer o que sabe”. Esse processo de controle dos gastos, que deveria ser algo prazeroso por dar à pessoa a sensação de controle e poder sobre o próprio dinheiro, acaba se transformando numa grande fonte de frustração e, por consequência, o abandono da planilha.

É o jogo interior entre o Ego 1 e o Ego 2 que precisa ser vencido.

Aprender a confiar em si mesmo e no grande potencial de realização que existe em cada um de nós é o grande desafio a ser vencido para ganhar o jogo interior do dinheiro.

O melhor de tudo é que cada um de nós já nasce com a capacidade de ganhar esse jogo interior. É só começar a jogar!

Se ficou interessado em conhecer ou adquirir o livro O jogo interior do tênis, acesse aqui.

André Luiz Machado

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar